ELEIOÕES IFMA-IMPERATRIZ

À COMUNIDADE ACADÊMICA, ESTUDANTES E PROFESSORES E DEMAIS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, SERVIDORES ADMINISTRATIVOS E TÉCNICOS.

COMUNICADO Nº 1

Para dirimir dúvidas relacionadas a minha Pré Candidatura à Direção do IFMA, Campi IMPERATRIZ venho através deste comunicado expor as razões que me impeliram a esta tomada de Decisão.
1. Da Motivação
Não cogitava e nunca pleiteei qualquer tipo de cargo comissionado dentro da administração do IFMA, apenas exercia e exerço as funções de professor, por ter sido esta uma escolha pessoal e pelo prazer de transmitir aos meus alunos conhecimentos aprendidos ao longo de algumas décadas no Ensino Técnico Profissional.
Entretanto, pelas incoerências e centralização do poder da atual gestão ,concentrando as decisões em torno de um pequeno grupo e às vezes até de forma pessoal, em detrimento dos demais servidores da instituição, tomei a decisão de submeter o meu nome para a escolha da comunidade no próximo mês de maio.
2. Da Experiência em Gestão Pública.
Aprendí ao longo de cinco (5) anos como gestor público, quando fui designado para implantar a Agencia da Capitania dos Portos Tocantins Araguaia em Imperatriz, que não se deve administrar com concentração de poderes. A gestão pode e deve ser participativa, compartilhada, pois todos dependem do sucesso ou fracasso da instituição. Processos coercitivos como os que são observados atualmente no IFMA, principalmente o ASSÉDIO MORAL, utilizado sempre que um servidor se opõe a posição do CHEFE é no mínimo um ato covarde do gestor, tira-se do servidor o direito inalienável do livre arbítrio, esquecendo – se que os contrários são somas e não subtração no processo da gestão.
3. Do Processo Acadêmico
O Campi de Imperatriz foi o 2º maior centro de Ensino Técnico Profissionalizante do estado. Hoje, quiçá sejamos o 4º ou 5º no contexto estadual. Porquê? Se verificarmos em uma pesquisa rápida no site do IFMA, veremos que a nível de curso superior perdemos até para os campi recém inaugurados. E os cursos Técnicos baseados em estruturas curriculares ortodoxas, não evoluem, estão estagnados no tempo e no espaço. Isso é gestão e fim da instituição, constitui seu patrimônio cultural. O que dizer do patrimônio físico? Materiais adquiridos (comprados, licitados de mais baixa qualidade) e abandonados por trás dos galpões da instituição. As salas de aulas também podem ser inseridas neste contexto: Não acompanharam o avanço da tecnologia, são pouco inteligentes sem recursos instrumentais para uma boa aula. Sabem quanto tempo levou para as suas climatizações? Apenas oito(8) anos o tempo que esta gestão se encontra no poder.
4. Da Alternância do Poder
É salutar e faz bem a administração pública, não é possível que pessoas que permaneceram oito(8) longos anos no poder não percebam o seu desgaste e não vejam que pouco produziram para a sua permanência no poder. É o continuísmo, nada se muda, nada se troca e assim implanta-se o poder dominante.
VAMOS INOVAR, SIM! VAMOS RENOVAR, SIM!
QUEREMOS UMA GESTÃO
DEMOCRÁTICA, PARTICIPATIVA
E SOBRETUDO INTELIGENTE PARA QUE TODA A COMUNIDADE SE SINTA BEM.
*Este documento está publicado no site:WWW.baldez.wordpress.com

Professor ADILSON ALVES BALDEZ

Advertisements

About adilsonbaldez

Um profissional,pesquisador e que admira a arte, a literatura de um modo geral e que tem grande apreço pelos verdadeiros amigos.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s